domingo, 24 de maio de 2009

São José de Espinharas

De acordo com o(Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), no ano de 2008 sua população era estimada em 5.055 habitantes. Área territorial de 726 km².

Alguns dados históricos Na primeira parte do século XIX, mais precisamente em 1826, o Comandante José Raimundo Vieira, natural da cidade de Icó, no Ceará, comprou ao Barão do Ipanema uma sesmaria com seis léguas quadradas (36km X 36 Km), instalando a Fazenda São José e construindo a primeira casa do futuro município, conhecida como "Casa Grande". José Raimundo e sua esposa, Clemência Sotero de Melo, passaram a residir nesta fazenda. Deste casamento, nasceu uma única filha. Mais tarde, o Cavaleiro da Ordem Imperial de Portugal Miguel Sátiro de Sousa casou-se com esta jovem e estabeleceu-se às margens do Rio Espinharas juntamente com o seu irmão, Aquiles Sátiro, cujo túmulo se encontra no Cemitério Municipal de São José de Espinharas. No dia 26 de dezembro de 1961, foi promulgada a Lei 2.687, criando o Município de São José de Espinharas, cujo território foi desmembrado do Município de

patos. A história de São José de Espinharas está profundamente vinculada à história do Município de Patos, ao qual pertenceu. Em 1937, o Município de Patos aparece como sendo composto de quatro distritos: Patos, Cacimba de Areia, Passagem e São José. Em 1943, o Distrito de Passagem passa a chamar-se "Espinharas" e o Distrito de São José passa a chamar-se "Mucunã". Em 1949, o Distrito de Espinharas volta a denominar-se "Passagem" e o Distrito de Mucunã passa a denominar-se "São José de Espinharas". Em 1960, o Município de Patos é constituído pelos seguintes distritos: Patos, São José de Espinharas, Passagem, Cacimba de Areia, Santa Teresinha, Salgadinho, Areia de Baraúnas e Santa Gertrudes. Somente em 1962, é criado o Distrito de Jerimum, que, em 1964, é desmembrado de Patos e torna-se município com o nome de São José do Bonfim. O Distrito de Quixaba é criado em 1961, subordinado ao Município de Cacimba de Areia. Em 1964, Quixaba torna-se município. O Município de São José de Espinharas foi instalado no dia 30 de dezembro de 1961. Na verdade, o seu nome deveria ser São José "do" Espinharas, em referência ao rio (1).

Limites O Município de São José de Espinharas se limita ao Norte com o Município de Paulista (PB) e com os Municípios de Serra Negra do Norte, São João do Sabugi e Ipueira (RN); ao Leste, com o Município de São Mamede (PB); ao Sul, com o Município de Patos (PB); e a Oeste, com os Municípios de Malta e Vista Serrana (PB).

Localização e Acesso O Município de São José de Espinharas se localiza no centro do Estado da Paraíba, na Meso-Região do Sertão, na Micro-Região de Patos. Dista 332 Km de João Pessoa, capital do Estado da Paraíba. O acesso à sede do município, partindo-se de João Pessoa, dá-se pela BR 230, até Patos (310 Km), passando por Campina Grande, Soledade, Juazeirinho, Junco do Seridó e Santa Luzia. Em seguida, deve-se tomar a direção norte, pela Rodovia Estadual PB 275 (22,2 Km). O trecho entre Patos e São José de Espinharas é uma "estrada implantada". Outra possibilidade de acesso é pela BR 110. 14 Km depois de Patos (na direção Oeste - Pombal), encontra-se o Distrito de Santa Gertrudes. Logo depois do Distrito de Santa Gertrudes, à direita, deve-se tomar a BR 110 na direção de Serra Negra do Norte e, na altura da Fazenda Flores, entrar à direita numa estrada vicinal que dá acesso à sede do município (11,5 Km). No período das chuvas (fev-mai), pode haver alguma dificuldade de passagem pelo Rio Espinharas, pois não há ponte.

Clima, Vegetação, Temperatura, Relevo, Precipitação Pluviométrica e Hidrografia O Município de São José de Espinharas possui clima quente e seco com estações não definidas. Encontra-se no chamado "Polígono das Secas". Há secas freqüentes, mas o índice pluviométrico médio é de 885 mm/ano (média entre 1962 e 1985), que não pode ser considerado baixo. O grande problema é que as chuvas são bastante irregulares na sua distribuição. Devido à irregularidade das mesmas e às freqüentes secas, a vegetação do município é do tipo Caatinga-Sertão, percebendo-se tendência à desertificação. A temperatura média anual é de 28 graus Celsius. São José situa-se na Bacia do Rio Piranhas, sub-bacia do Rio Espinharas, que, na verdade, é um rio temporário, com possíveis cheias na estação das chuvas. Além do Rio Espinharas, destacam-se os seguintes riachos: Trapiá, dos Bois, Caiçara, Sombrio, Caluete, Louro, da Roça, Santa Rita, Melancias e Lamarão. Os principais açudes são: Novo, Sombrio, Flores e Maria Paz. No município, há ainda muitos poços artesianos e amazonas. A sede do município se situa a 208m de altitude; há algumas elevações, no município, que têm altitude entre 200 e 600m, como: Serra da Carnaúba, do Olho D'Água, do Feijão, dos Currais, do Resende, da Bonita, das Melancias, do Jardim, do Tronco e dos Quintos.

Economia

Agricultura e Pecuária: O Município de São José de Espinharas possui terras que estão entre as melhores da região. A maioria de sua população ainda reside no campo, mas foi bastante diminuída. Nestas terras férteis do baixo Espinharas, a produção do algodão era a principal atividade agrícola até cerca de 1980. Esta cultura foi, contudo, dizimada por pragas, espcialmente o "Bicudo", e pelos baixos preços, resultado da competitividade internacional. O município ainda produzia e produz culturas de subsistência, como feijão, milho e arroz. A crise do algodão provocou uma massiva migração da população para as áreas urbanas, especialmete para São José, Patos e para o Sudeste do país. Houve também um processo contínuo de diminuição das "fazendas", devido à transmissão de heranças, e uma série de anos de secas, entre 1980 e 1990. Tudo isto contribuiu para o declínio econômico do Município de São José de Espinharas, como também de outros municípios do sertão (2). O município já foi destaque na produção de algodão, cultura que está ressurgindo com algumas espécies mais resistentes às pragas. Pode-se ainda destacar a produção de gado de corte, de derivados do leite e a criação de frangos para o abate. É lamentável perceber que o município não encontrou, ao longo destes mais de 20 anos, nenhuma outra vocação econômica para substituir a cultura do algodão.

Produção Mineral: São José de Espinharas é bastante conhecida no universo da geologia pela grande jazida de urânio que possui. Entre os anos de 1977 e 1982, São José abrigou um grande projeto de estudo das potencialidades da jazida. Engenheiros e geólogos do mundo inteiro por aí passaram. A empresa Nuclan, vinculada à Nuclebrás, num projeto conjunto entre Brasil e Alemanha, fez estudos nos municípios de São José de Espinharas, Cajá, Barra de Santa Rosa e Pocinhos. Destes estudos, revelou-se que somente a jazida de São José de Espinharas é viável para a exploração. O urânio encontrado em São José de Espinharas é de boa qualidade (teor de 1.200 partes por milhão) e numa quantidade bastante considerável. Atualmente, o Brasil retomou o projeto das Usinas Nucleares de Angra dos Reis. No momento, as jazidas de Poços de Caldas (MG) e Lagoa Real (BA) fornecem o urânio para as Usinas Angra I e II. A jazida de Itatiaia (CE), a maior do país, e de São José de Espinharas (PB) permanecem como reserva para uma futura possível exploração. A jazida de São José tem 1,5 Km de extensão (3).

Política O atual prefeito do Município de São José de Espinharas é o Sr. Renê Trigueiro Caroca, do Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB), com mandato até o dia 31 de dezembro de 2008. Foi eleito prefeito nas últimas eleições (out./2008), o Sr. Ricardo Vilar Wanderley Nóbrega (PSDB) e os seguintes vereadores: Paulo Camilo da Silva, José Petrônio Dantas de Souza, João Lúcio de Medeiros e Ivo Ferreira da Silva (PSDB); Saulo Wanderley da Nóbrega Lima de Farias e Eliane Wanderley Bezerra (PMDB); José Salomão da Nóbrega Gomes (PR); Antônio Gomes da Costa Netto (PP); e José Vespucci de Sousa Nóbrega (PDT).

Religião A população do Município de São José de Espinharas é de maioria católica romana. O município não é sede de paróquia e está vinculado à Paróquia de Nossa Senhora de Fátima, em Patos (PB). O padroeiro da cidade é São José. Na sede do município, há uma igreja dedicada ao santo patrono e, em várias localidades da zona rural, há capelas que servem para as celebrações comunitárias. É celebrado com muito fervor o Mês Mariano (maio) e a festa do Padroeiro. Ultimamente, o município vive uma grande efervescência religiosa, no ambiente católico, com a realização das Santas Missões Populares e com os preparativos para se tornar paróquia. Há ainda, na sede do município, a presença de alguma outra denominação cristã, especialmente a Igreja Filadélfia e a Assembléia de Deus.

Principais "sítios" e "fazendas" do Município de São José de Espinharas O Município de São José de Espinharas tem uma das maiores áreas territoriais do Estado da Paraíba. O contato das várias fazendas e sítios com a sede do município nem sempre é tão fácil. Isto se deve, principalmente, a três fatores: devido a sua magnitude; à existência do Rio Espinharas, que separa o município ao meio; e, sobretudo, à facilidade de comunicação por parte da zona sul e oeste do município com Patos, cidade que polariza a região. Os principais "sítios" e "fazendas" da zona rural são, em ordem alfabética: Arara, Aurora, Caiçara, Caicu, Cajazeiras, Cipó, Farias, Ferrão, Flores, Garrotes, Jacu, Jatobá, Lamarão, Laranjeiras, Maria Paz, Melancias, Mucunã, Paiva, Pau-a-pique, Pinhão, Poço Dantas, Queimadas, Resende, Riacho da Roça, Riacho Fundo, Santa Rita, Santana, Sombrio, Suécia, Tijolos, Trapiá, Travessia, Tronco e Vale da Sela.

Foto tirada pelo amigo mouras net CDs em cima do balde do açude do assentamento nova Santana aproximadamente 5:00 da manha do dia 05 de abril de 2008.uma imagem extraordinária .

Nenhum comentário: