quinta-feira, 5 de abril de 2012

Professores do município de São José de Espinharas fazem valer o seu direito, “no peito e na raça”.

Apesar da lei federal de Nº 11.738 de julho de 2008,lei que institui o piso salarial dos profissionais de magistério publico, determinar em seu artigo 5º que seja reajustado ou atualizado, anualmente, no mês de janeiro, o piso salarial dos profissionais do magistério publico. Mesmo assim, cansados da espera, já que estamos no mês de abril, os professores que integram o quadro no município de São José de Espinharas usaram mais uma vez de forma legal e organizados a força pressão para fazer valer o seu direito perante o poder publico municipal. 


Após enfrentar pegadinhas, ameaças de terem seus salários reduzidos, propostas frustradas apresentadas pelo chefe do executivo e tantas outras pressões a câmara municipal em sessão plenária lizada, ontem dia 04 de Abril, aprovaram por unidade o piso salarial de 1.451 reais contrariando assim, a proposta do prefeito que seria de 15% (sem retroagir a janeiro). Com essa decisão vale salientar que os governantes atuais tem que se adaptar para governar com o poder legislativo e com a pressão popular que a cada dia se apresenta mais forte e mais esclarecida com a força e o poder que emana do povo. 

Compareceram a sessão os vereadores Paulo Camilo, Salomão, Dedé, Ivo, Neto Gomes, Eliane, João Lucio e Vespucci. Estando ausente apenas o presidente da câmara, vereador Saulo Wanderley. Ainda estiveram presentes o assessor jurídico da prefeitura, Dr. Vilson Lacerda, o presidente do Sinfenp, José Gonsalves, a secretária de educação, Flavia Medeiros e os professores do município que de forma calorosa e tumultuada reivindicavam os seus direitos legais garantidos pelo governo federal. Após a aprovação, o projeto foi enviado ao chefe do poder executivo para submeter-se a sansão.
Fonte:Redação

Nenhum comentário: