terça-feira, 27 de novembro de 2012

Escola José Américo de Almeida foi o sétimo pior resultado do Enem no estado

O Ministério da Educação (MEC) divulgou ontem as notas obtidas pelas escolas públicas e privadas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2011. Na Paraíba, foram avaliadas 205 instituições de ensino, sendo 101 privadas e 104 da rede pública.

De acordo com o MEC, das dez escolas paraibanas com pior desempenho no Enem, oito são estaduais e duas são municipais. Já no ranking das dez melhores notas todas são privadas, sendo que sete estão localizadas em João Pessoa e três em Campina Grande. Nacionalmente, entre as 100 escolas mais bem colocadas no Enem 2011, dez são públicas, duas estaduais e oito federais.

A divulgação das notas considerou as escolas em que pelo menos 50% dos alunos concluintes do ensino médio participaram do exame em 2011 e as instituições de ensino com um mínimo de dez alunos no último ano do ensino médio. A menor média da Paraíba foi da Escola Municipal Lídia Cabral de Sousa, que fica na cidade de Aguiar, no Sertão do Estado. A nota obtida pela instituição (em uma escala que varia de zero a mil) foi de 396,7. A melhor pontuação foi para a escola da rede privada Motiva Ambiental, em João Pessoa, com 628,06 pontos. A instituição repetiu a melhor colocação no Estado pelo sétimo ano consecutivo. 

A unidade de Campina Grande ficou em segundo lugar, com 625 pontos. Já a segunda pior nota ficou com a Escola Estadual de São Domingos, em São Domingos de Pombal, no Sertão, com nota 397,7. A terceira nota mais baixa foi da Escola Estadual José Operário, em Santarém, com média de 412,96. Das 205 instituições de ensino avaliadas na Paraíba, apenas 84 alcançaram nota superior a 500 pontos e apenas as escolas federais aparecem na lista das 50 unidades mais bem colocadas. 

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFPB) em João Pessoa, alcançou nota 579,23 e ficou na 11ª colocação. A Escola Técnica de Saúde de Cajazeiras obteve nota 576,62 e ficou na 13ª posição, enquanto os campi do IFPB de Campina Grande e de Cajazeiras, com 561,58 e 542,01 pontos, ficaram na 21ª e 37ª colocação. Por sua vez, entre as escolas da rede estadual e municipal o melhor desempenho foi o da Escola Estadual Sesquicentenário, em João Pessoa, que ficou na 60ª posição. A nota obtida foi 524,12. Em se tratando da rede municipal, a Escola Padre Simão Fileto, em Cubati, na região da Borborema, distante 216 km da capital, foi a melhor colocada com nota 505,82 ficou na 78ª colocação. O diretor da Escola Municipal Anaide Benites, que fica no bairro das Indústrias, em João Pessoa, Marcos Freitas, credita o mau resultado das instituições de ensino do Estado à falta de investimento na educação infantil e fundamental. “A situação chega a este nível porque não tem investimento na base. Se você não faz um ensino infantil e fundamental bom, não tem como tirar uma boa nota no ensino médio, não é? Outro fator é a falta de estrutura familiar que muitos alunos da rede pública tem em casa. 

Os pais não estão indo mais às escolas para ver como está o comportamento e o desempenho dos filhos”, afirmou Marcos Freitas. Para o diretor do Motiva Ambiental, Karamuh Martins, o resultado da escola foi recebido com enorme satisfação. “Isso tudo é fruto do trabalho de toda uma equipe comprometida. Nossos alunos conseguiram o desempenho baseado no aprendizado contínuo, desenvolvido ao longo dos anos”, comentou. A reportagem do JORNAL DA PARAÍBA procurou a secretária de Estado da Educação, Márcia Lucena, para comentar o desempenho das escolas da rede, mas foi informada que ela passou a tarde de ontem em reunião. 

A assessoria de imprensa do órgão informou que ainda não havia posicionamento oficial. O secretário de Educação da cidade de Aguiar também foi procurado para comentar o fraco desempenho da escola municipal, mas ele também não foi localizado. (Colaborou Larissa Keren) 

Fonte:Jornal da Paraíba dia 24 de Novembro de 2012

Nenhum comentário: